segunda-feira, 25 de abril de 2016

MARTA LEANDRO REGISTRA "LAMBE-LAMBE"

A fotógrafa Marta Leandro fez uma paráfrase de um dos textos do meu livro "Lambe-lambe".
Para mim, uma grande honra, pois significa uma interlocução de altíssimo nível com uma leitora.

Lambe lambe

(...)

São esses fotógrafos e fotógrafas para os quais suas câmeras são “o caderno de esboços, um instrumento da intuição e da espontaneidade, o mestre do instante que, em termos visuais, ao mesmo tempo questiona e decide”.

São esses fotógrafos e fotógrafas que pensam que “para “significar” o mundo é preciso sentir-se implicado naquilo que se recorta através do visor. Essa atitude exige concentração, sensibilidade, um senso de geometria. É por uma economia de meios e, principalmente, um esquecimento de si que se chega à simplicidade de expressão.” 

São esses fotógrafos e fotógrafas para os quais “fotografar é prender o fôlego quando todas as nossas faculdades convergem para captar a realidade fugidia; é aí então que a apreensão de uma imagem é uma grande alegria física e intelectual.”

São esses fotógrafos e fotógrafas para os quais “fotografar é num mesmo instante, e numa fração de segundo, reconhecer um fato e a organização rigorosa das formas percebidas visualmente que exprimem e significam esse fato. É pôr na mesma linha de mira a cabeça, o olho e o coração. É um modo de viver”.

São esses fotógrafos e fotógrafas que, como eu, veem beleza em tudo, porque desconfiam que em tudo está contido o belo, e seu desafio é fazê-lo se revelar; 

São esses fotógrafos e fotógrafas que, por saber que fotografar é escrever com a luz, tem por missão encontrar a  luz que anima cada ser - e que os torna únicos e belos -  e escrever com ela uma história. 

Minha missão na fotografia, e na vida, é a busca incessante da luz.

Inspirado no texto "Fotógrafos", do livro, "Lambe, lambe", de Sérgio Fantini. Ed. Jovens Escribas, 2016.

Entre aspas: Henri Cartier-Bresson, em "O imaginário como ele é", Clair, Jean. II. Cosac Naify, 2011

Um comentário:

  1. A honra foi minha, Sérgio Fantini!
    Muito obrigada!
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir